14.Nov.2016

No programa "Memórias" desta segunda (14), a produtora Célia Lopes rememora episódios de suas décadas de colaboração com a TV Cultura Amazonas. Célia Lopes produziu grandes sucessos da emissora como "A Turma do Tipiti" e "Cultura da Terra". A História da TV no Amazonas e a própria história de Manaus são contadas nos episódios desse programa, que vai ao ar toda segunda, às 21h, na TV Cultura Amazonas. 

 

11.Nov.2016

Alô, Memória - 80 anos das Rádios MEC e Nacional

O documentário "Alô, Memória - 80 anos das Rádios MEC e Nacional" mescla a linguagem documental com elementos da dramaturgia para apresentar um panorama sobre as emissoras que são referência na comunicação pública. A produção homenageia as oito décadas das emissoras Rádio Nacional e Rádio MEC comemoradas em 2016.

Ouvir somente seria pouco. É preciso ver e ganhar novos olhares para celebrar os oitenta anos de história das Rádios MEC e Nacional. Isabel Cristina, Albertinho e Jorge Luís são três jovens com nomes de personagens do maior sucesso da radionovela do país, "Direito de Nascer". Eles se deixam mergulhar numa fantasia radiofônica com imagem, textura e som.

A produção percorre a trajetória da Rádio Nacional e seu brilho: astros e estrelas da radiodramaturgia, do jornalismo, do esporte. Recorda os programas de auditório e de humor que marcaram época no imponente edifício "A Noite", na Praça Mauá.

Destaca um passado que influenciou outras rádios e grandes emissoras de televisão do Brasil, que, até hoje, têm na Era de Ouro da Nacional a maior referência.

O longa também mostra como a Rádio MEC nasceu do sonho de um homem: Edgard Roquette-Pinto. Ele queria levar cultura e educação aos cidadãos em todo território nacional.

A MEC foi a concretização de seu projeto: poesia, crônica, literatura, folclore, música clássica e instrumental, educação formal ao alcance de todos que se dispunham a ouvi-la.

Com humor e poesia, os jovens personagens costuram essa história com depoimentos de artistas, jornalistas e especialistas. "Alô, Memória - 80 anos das Rádios MEC e Nacional" chega para mostrar que essas oito décadas estão muito presentes e merecem ser revisitadas a todo momento.

O documentário ainda inclui imagens de arquivo de ícones da cena cultural do país como os cantores Cauby Peixoto e Roberto Carlos, a atriz Fernanda Montenegro e o pesquisador Ricardo Cravo Albin.

A produção conta com a participação de dois radioatores, Daisy Lúcidi e Gerdal dos Santos, que há décadas estão no casting da Rádio Nacional e continuam atuantes na emissora pública até os dias de hoje.

Também concedem entrevista para o filme personalidades como o jornalista João Máximo, o compositor Edino Krieger, o radialista Marco Aurélio Carvalho, a radialista Marlene Blois, a jornalista Magali Prado e o jornalista João Batista de Abreu.

"Alô, Memória - 80 anos das Rádios MEC e Nacional" ainda recupera áudios e vídeos de atrações das emissoras que estão no imaginário popular como o "Repórter Esso" e programas de auditório que lotavam os estúdios e corredores das estações com uma multidão que se aglomerava nas ruas para ver os ídolos.Inédito. Duração: 56 min.

Ano: 2016. Gênero: documentário. Direção: Carlos Sanches, com Cleo Pequeno, Gabriel Flores e João Antonio Santucci. Assistência de Direção e Preparação de Elenco: Paulo Fernandes. Roteiro: Rogério Sacchi de Frontin, Paulo Fernandes. Supervisão de Roteiro: Simone Melamed. Produção Executiva: Enio Puello. Edição e Finalização: Isabelle Valente, Rodrigo Moraes. Coordenação de produção: Daniel Gontijo. Produção e Realização: Empresa Brasil de Comunicação (EBC).

Doc Especial80 anos das Rádios MEC e Nacional, sábado (12), às 21h30 (horário de Brasília), na TV Brasil.

10.Nov.2016

"A Festa da Menina Morta"

Drama nacional de estreia do ator Matheus Nachtergaele na direção, gravado no Amazonas, foi premiado em vários festivais de cinema.

Todos os anos, há duas décadas, uma pequena população ribeirinha do alto Amazonas comemora a Festa da Menina Morta. O evento celebra o milagre realizado por Santinho (Daniel de Oliveira) que, após o suicídio da mãe (Cassia Kis Magro), recebeu em suas mãos, da boca de um cachorro, os trapos do vestido de uma menina desaparecida.

A menina jamais foi encontrada, mas o tecido rasgado e manchado de sangue passa a ser adorado e considerado sagrado. A festa cresceu indiferente à dor de Tadeu (Juliano Cazarré), irmão da menina morta. A cada ano as pessoas visitam o local para rezar, pedir e aguardar as "revelações" da menina, que através de Santinho se manifestam no ápice da cerimônia.

O pai do venerado órfão (Jackson Antunes) aguarda os lucros prometidos pelo sucesso do evento, mas a ambígua relação que mantém com seu filho milagroso preocupa os mais próximos, principalmente a beata Tia.

Mãe postiça de Santinho, ela é a grande detentora das tradições do culto. Junto com a alcoviteira e sensual Das Graças, esmera-se por manter a ordem e a decência no local.

A jovem e apaixonada Lúcia prepara-se para ser uma das mais fiéis participantes do ritual, mas enfrenta dificuldades no ambiente sagrado e viciado da casa. A bela Diana (Dira Paes), exausta do amor e da vida, virá confortá-la.

Primeiro filme dirigido pelo ator Matheus Nachtergaele, o drama "A Festa da Menina Morta" tem grande elenco formado por Dira Paes, Daniel de Oliveira, Cassia Kis Magro, Juliano Cazarré, Jackson Antunes, Paulo José. O elenco também conta com as atrizes amazonenses Ednelza Sahdo e Rosa Malagueta. As filmagens aconteceram no município de Barcelos, no estado do Amazonas.

Em 2008, o longa foi lançado no Festival de Cannes, dentro da mostra Un Certain Regard. A partir daí, o filme seguiu uma trajetória premiada em eventos nacionais e internacionais.

No Festival de Gramado, “A Festa da Menina Morta” venceu nas categorias Melhor Filme, Júri Popular, Prêmio Especial do Júri, Melhor Ator (Daniel de Oliveira), Melhor Fotografia, Melhor Música e Prêmio da Crítica. Já no Festival do Rio, o drama levou os troféus de Melhor Filme e Melhor Ator (Daniel de Oliveira). A Associação Paulista de Críticos de Arte concedeu os prêmios de Melhor Filme e Melhor Fotografia.

A produção também foi reconhecida internacionalmente. No Festival de Chicago, o título nacional ganhou o prêmio de Melhor Filme na mostra Novos Diretores. Já no Festival de Cinema Brasileiro de Los Angeles, o drama venceu nas categorias Melhor Roteiro e Melhor Fotografia. Por fim, Daniel de Oliveira foi considerado o Melhor Ator no Festival de Cinema Luso-Brasileiro. Reprise. 110 min.

Classificação indicativa: 18 anos

Cine Nacional - "A Festa da Menina Morta", Quinta (10), às 22h (horário de Brasília),  na Tv Brasil.

última modificação Quinta, 10 Novembro 2016 20:07
10.Nov.2016

No mês da Consciência Negra, o "Em Debate" traz um tema que celebra a herança da contribuição dos negros para a cultura brasileira. O Maracatu, manifestação cultural afro-brasileira da música folclórica pernambucana, está cada vez mais presente em Manaus, com a formação de vários grupos pela cidade.

O programa vai ao ar nesta quinta (10), às 22h, na TV Cultura Amazonas.

09.Nov.2016

O novo programa da TV Cultura Amazonas “Fome de Tudo” é uma revista eletrônica com apresentação da jornalista Tatiana Sobreira.  Aborda temas variados, de ufologia à gastronomia, trazendo também entrevistas com pessoas comuns. A ideia é matar a fome de conhecimento.

O "Fome de Tudo" vai ao ar às quartas-feiras, às 22h.

 

Comente e participe, ajude-nos a deixar nossa tv pública cada vez mais sua