História
13.Mai.2014
Classifique
(0 votes)

A TV Educativa do Amazonas, hoje Fundação Televisão e Rádio CUltura do Amazonas (Funtec), foi criada pelo Decreto Lei n º 62.107 de 24 de janeiro de 1968, com outorga de funcionamento autorizada pelo Ministério das Comunicações ao Governo do Estado do Amazonas.

A ideia da Televisão surgiu a partir da leitura de uma revista sobre as atividades de Televisão Educativa na França, pelo então governador, Danilo de Matos Areosa, em um vôo entre Brasília/ Manaus.

Surgiu como resposta às necessidades educacionais do Estado, num governo que muito incentivou as atividades da Secretaria de Educação e Cultura. Foi concedido o Canal 2 para o Estado, com os privilégios que gozavam as TV’s Educativas.

O Governo instituiu uma comissão para elaborar o Projeto. Com sede provisória na Rua Barão de São Domingos, a comissão iniciou o trabalho de fundamentar a obra de instituição do que mais tarde seria a TV Educativa.

Na época, o secretário de Educação era o Dr. Vinícius e uma das metas era produzir um programa abrangente para jovens adultos, dando-lhes a oportunidade de voltar a estudar, por se encontrarem fora dos bancos escolares há alguns anos. Iniciou-se um curso de Educação à distância denominado de curso supletivo, equivalente ao curso ginasial da época, hoje ensino fundamental.

A instituição recém criada era subordinada à Secretaria de Educação e Cultura, sendo presidente da Fundação, o próprio Secretário de Estado da Educação e Cultura.

Durante a fase de implantação da TV Educativa, o órgão foi dirigido por uma Junta Administrativa. O sonho da inauguração demorou aproximadamente três anos e meio para se concretizar. O projeto, elaborado para execução imediata, foi interrompido pela burocracia alfandegária. O tempo de espera deveu-se em decorrência da liberação dos equipamentos para a instalação do complexo televisivo da primeira estação de Televisão Pública do Estado do Amazonas. Esse grande esforço só foi concretizado no dia 12 de março de 1971, às 16:00h, quando foi anunciado  pela primeira vez o prefixo da ZYF-245 – Televisão Educativa do Amazonas – CANAL 2 , em preto e branco, para a alegria dos telespectadores manauenses, época em que o município de Manaus abrigava apenas 350 mil habitantes.

Após mais de quatro meses funcionando em caráter experimental, a TV Educativa teve no jornalismo, sua primeira produção local. A programação da emissora era composta de filmes importados, pequenos documentários e desenhos animados. Nessa fase inicial, eram 6 horas diárias de programação com abertura às 16:00h e encerramento às 22:00h. Em setembro de 1971, surgiram novos programas como Noite de Seresta, Fantoches, Música para você e Gente Nova.

Em 1972 foi implantado o Sistema TV Escola. Com apenas 3 câmeras, 2 Vidicon e 1 Orthicon, 2 aparelhos de Vídeo Tape, Shibaden, um Tele-cine e uma mesa de som, a Televisão Educativa exibia a sua programação.

As Tele-salas surgiram para resolver um problema da demanda da rede estadual de ensino. Foram implantadas 54 tele-salas distribuídas por Unidades Educacionais no município de Manaus, recebendo cada local um televisor e antena de recepção em VHF para sintonizar o CANAL 2.

O sistema começou a funcionar primeiramente com a 5ª série do ensino fundamental, no segundo ano já foi incluída a 6ª série. No início do funcionamento da TV Escola foram usadas as aulas produzidas no Maranhão que já trabalhava com sucesso nesse sistema de ensino.

A Secretaria de Cultura tinha um convênio com a Fundação Roquete Pinto (TV Educativa do Rio de Janeiro) para preparar os produtores das aulas. As duas primeiras turmas de profissionais fizeram o curso de produção educativa no Rio de Janeiro, depois os cursos foram realizados em Manaus. O curso era coordenado por uma Diretora Pedagógica, responsável por toda a programação educacional e pedagógica do projeto, que durou 2 anos com excelente sucesso, tanto em Manaus como no interior.

Com o objetivo de melhorar a qualidade do ensino e o nível de aprendizagem na rede estadual de ensino, o projeto chegou a atingir 9.000 alunos, da 5ª e 6ª séries do primeiro grau.

De 1972 a 1975, paralelo ao sistema de TV Escola, prosseguia a produção de programas variados. Em 1976, foi criado o Centro Amazônico de Produção como um marco de uma nova fase no sistema de produção local. Foram produzidos e veiculados os programas Amazônia de Perto, Diálogo, Tempo e Cultura, Musicamazonas e Imagens e Sons.

No campo do cinema, a TVE produziu uma série de Curtas destacando atividade de amazonenses ligados a arte. Com a renovação dos equipamentos em 1979, são feitos projetos específicos para cada série de programas, com a mesma filosofia de mostrar a realidade do Estado do Amazonas e também a promoção da permanência do homem na Zona Rural. Veiculam-se os programas Carrossel da Saudade, Plano Geral, Debates e Tv Tur.

Em julho de 1980 a TVE gerou a transmissão da visita do Papa a Manaus, mostrando também a procissão de São Pedro com imagens apoteóticas. Nesse ano a TVE veiculou em rede nacional o programa Andanças, foram produzidos também os programas Circuito Infantil, Documentos da Amazônia, Cenário Popular, TV Jovem, Mãos que falam e o infantil A Turma do Tipiti.

Em 17 de dezembro de 1981, a Fundação Televisão e Rádio Educativa do Amazonas foi transformada em Autarquia pela Lei nº 1.493, passando a chamar-se Superintendência de Televisão e Rádio Educativa do Amazonas (Strea).

A Lei nº 2.216 de 09 de junho de 1993 extinguiu a STREA e criou a Fundação Televisão e Rádio Cultura do Amazonas (Funtec).

Em 1995 foram adquiridos equipamentos de alta tecnologia, mudando o sistema U-Matic para Beta-Cam. De 1995 até 2001 a TV Cultura produziu e transmitiu os seguintes programas: Carrossel da Saudade, Botequim da Cultura, TV Cult, Cultura da Terra, Cultura Esportiva, Painel Cultural, Jornal da Cultura, Gente da Floresta, Especial da Cultura, Em Cena e documentários. Gerou matérias para o Jornal da Cultura de São Paulo, além da transmissão do Festival de Ópera, Festival de Parintins, Carnaval e outros eventos culturais e esportivos.

O Carrossel da Saudade é o programa mais antigo da Emissora. Está no ar há mais de 25 anos.

Em Dezembro de 2005, uma nova mudança ocorreu na estrutura organizacional, a Lei nº 3.012 de 12 de Dezembro de 2005 transformou a Funtec de Fundação Pública de Direito Privado para Fundação Pública de Direito Público, extinguindo o Conselho Curador antes existente.

Em 18 de Maio de 2007, a Lei Delegada nº 112 definiu a estrutura organizacional da Funtec, fixando o seu quadro de cargos comissionados e estabelecendo outras providências.

A partir de meados de 2007, com a necessidade de substituição dos equipamentos para a nova era da digitalização, adquiriu-se 3 novas câmeras  de estúdio D55 da Sony, 2 mesas de áudio, microfones sem fio e de lapela, um gerador de caracteres de última geração, 2 ilhas de edição não-lineares, 4 câmeras PD-170, mesa de corte de vídeo, o auditório foi totalmente reformado, ficando com capacidade para 90 pessoas, com acústica, palco e iluminação novos, foram adquiridos 16 novos computadores, onde  foram alocados principalmente no jornalismo e produção, reforçando assim a nossa área fim.

Vale ainda destacar a aquisição de três novos veículos para as externas, aumentando a frota para oito veículos, visando um maior conforto e mais agilidade para equips de produção e jornalismo.

A TV Cultura do Amazonas passou a transmitir a programação da TV Brasil num contrato de co-produção que retransmite toda a nova programação, e ainda vai produzir novos programas para entrar em rede nacional.

Ler 1287 times última modificação Terça, 03 Junho 2014 01:16
Super User

Usuário padrão

Mais nesta categoria: Carrossel da Saudade »

 

Comente e participe, ajude-nos a deixar nossa tv pública cada vez mais sua